Avaliação do ciclo de vida

, Sem categoria

Avaliação do ciclo de vida
Por Márcia Cristina Mariani 
 

Marcia_Mariani-200x300Podemos afirmar  que uma das maiores contribuições que vieram  junto com a preocupação do desenvolvimento sustentável  é, com certeza, a visão sistêmica.

Até o presente momento, todas as nossas análises eram feitas de modo cartesiano, ou seja, separávamos um pedaço do todo para estudar , concluindo que estávamos  assim, apenas utilizando uma estratégia muito bem pensada e  definida.

Hoje, porém, estamos  descobrimos que esta estratégia precisa ser remodelada. Para  obtermos uma análise eficaz se faz necessário uma avaliação sistêmica, onde sejam consideradas o maior número de variáveis econômicas, sociais e ambientais  possíveis e  referentes à  questão.

Na prática da atualmente tão  almejada  gestão sistêmica, o conhecimento do ciclo de vida de um produto ou serviço é o primeiro passo na busca para o  desenvolvimento sustentável  de fato.

Conceitualmente podemos dizer que o estudo do ciclo de vida inicia-se da origem da remoção na natureza  dos recursos necessários (berço), finalizando-se quando o mesmo  material retorna para à terra (túmulo).

A preocupação ambiental requer o conhecimento do ciclo completo e fechado , iniciando–se a partir da natureza e caminhando até o mesmo ser “devolvido“ à ela, o que geralmente denominamos de resíduos.

A avaliação do ciclo de vida é uma  poderosa ferramenta que possibilita a visibilização de toda a  cadeia de produção e os  seus respectivos  impactos ambientais, sociais e econômicos.

Permite-nos quantificar e posteriormente gerenciar a quantidade de recursos naturais envolvidos na produção como água , energia , matéria-prima e até os esforços de mão de obra utilizados.

 grafico

 

Após o conhecimento do ciclo de vida, faz-se preemente a  avaliação  e mensuração dos impactos  provenientes  do processo, o que nos   propicia o conhecimento  da extenção e intensidade das alterações provocadas no entorno ao longo do caminho.

Segundo a Norma  ABNT NBR 14.040 a avaliação do impacto  inclui três fases, a saber: classificação, caracterização e ponderação.

As fases de  classificação e caracterização são fatos, evidências  científicas ou técnicas enquanto  que a ponderação sofrerá julgamentos subjetivos  políticos ou normativos.

No conhecimento e avaliação de todos os processos envolvidos no ciclo de vida, reside a grande oportunidade de  eficiência e redução   de recursos econômicos, sociais e ambientais.

Márcia Cristina Mariani é formada em administração hospitalar pelo Centro Universitário São Camilo, mestre em Liderança pela Unisa, especialista em gestão ambiental e desenvolvimento sustentável pela FAAP, Gerente ambiental e de projetos do INDSH- Instituto Nacional de Desenvolvimento Humano e Social e Membro do Projeto Nossa Terra (www.projetonossaterra.com.br)

Deixe uma resposta