Clínicas médicas com preços acessíveis têm expansão acelerada

A economia fraca e as turbulências políticas prejudicaram muitas áreas do empreendedorismo nos últimos anos. No entanto, alguns setores vivenciam uma fase de crescimento de demanda e de expansão acelerada dos seus negócios. Esse é o caso das clínicas que oferecem consultas com médicos especialistas e exames a preços acessíveis, sem burocracia.

As clínicas acessíveis preenchem lacunas do setor de saúde brasileiro. São alternativas diante do atendimento precário e insatisfatório do Sistema Único de Saúde (SUS). E, por outro lado, também representam solução para muitos brasileiros que sofreram com queda na renda ou ficaram desempregados, perdendo a cobertura de planos de saúde. Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), 2,48 milhões de pessoas deixaram os planos de saúde nos últimos dois anos.

Hoje, especialmente nas capitais e grandes cidades, mesmo as pessoas que têm planos de saúde têm recorrido a essas clínicas, pela comodidade e rapidez no agendamento das consultas. Esse movimento ganha força porque essas novas redes têm aumentado tanto a gama de serviços prestados quanto a capilaridade.

Segundo empresários do ramo, os preços oferecidos aos pacientes são mais baixos graças à redução consistente de custos com aplicação de tecnologia da informação e análise de dados, tornando a gestão mais eficiente com acompanhamento sistemático dos pacientes – informações cadastrais e histórico de consultas e exames realizados. As margens são estreitas e ganha-se no volume de consultas.

A rede foi fundada em 2011 como uma clínica popular, no entanto, o modelo de negócio tornou-se mais completo com o passar do tempo. “Passamos a fazer o gerenciamento da saúde das pessoas ao longo de suas vidas, ainda oferecendo preços acessíveis”, afirma Renato Velloso, vice-presidente de desenvolvimento de mercado da consulta.

Hoje, os centros médicos oferecem 56 especialidades, como pediatria, cardiologia, ginecologia e neurologia, além de fisioterapia, psicologia, fonoaudiologia e acupuntura.

Os preços das consultas variam de R$ 80 a R$ 140. O foco de atuação continua sendo o Estado de São Paulo, a maioria das unidades fica na capital. Em 2016, a rede dr. consulta passou de 10 centros para 28. No momento, já são 38 unidades com mais de mil médicos e até o fim do ano serão 46 centros da marca. O crescimento se dá com capital próprio. A empresa não abre dados do seu faturamento e não pretende expandir por meio de franchising.

A Docctor Med é outra rede de clínicas que oferece atendimento médico, odontológico e exames, a baixo custo para a população. As operações foram iniciadas em 2009, mas, recentemente, o ritmo de crescimento se intensificou.

A empresa avança com o modelo de franquias. Em 2016, eram 23 centros médicos e, hoje, são 37 unidades, além de 18 contratos já assinados por empreendedores, que devem iniciar as atividades até dezembro. O plano da Docctor Med é chegar a 100 centros médicos até 2021.

A Docctor Med oferece 35 especialidades médicas, entre elas, ginecologia, cardiologia, ortopedia e traumatologia, mais exames laboratoriais e de imagem. Os preços das consultas partem de R$ 80. Atualmente, mais de dois mil médicos são credenciados. No ano passado, a rede faturou R$ 30 milhões. “Nossa expectativa é faturar R$ 45 milhões este ano, até porque montaremos mais clínicas”, diz o CEO Geílson Silveira.

Deixe uma resposta