Cresce interesse pela acreditação no setor de saúde brasileiro

, Sem categoria

Organização Nacional de Acreditação – ONA, certificação brasileira de qualidade em saúde, registrou novo crescimento no número de acreditações em 2014. Foram 224 instituições certificadas, um aumento de 5% em relação ao ano anterior. O crescimento do número de Diagnósticos Organizacionais (DOs) foi ainda mais expressivo: saltou de 62 em 2013 para 102 no ano passado, uma alta de 65%. 

Os DOs são avaliações feitas a partir dos padrões da ONA, mas sem fins de acreditação. Servem para que a instituição avaliada identifique pontos em que ainda precisa melhorar para conquistar a certificação. Mais da metade dos que realizam esse diagnóstico conquistam a acreditação em menos de um ano.

“A maioria dos que contratam DOs são instituições que nunca foram acreditadas. Por isso, o total de diagnósticos serve como um ‘termômetro’ do interesse pela acreditação”, explica  Dr.ª Maria Carolina Moreno, superintendente da ONA.

Os  hospitais  ainda são maioria tanto no número de novas certificações (111) quanto de DOs (36), mas também foram destaque no período os serviços de  diagnóstico por imagem  (32 certificações e 21 DOs) e ambulatórios (31 certificações e 29 DOs).

“Esses números mostram um aumento da conscientização de todo o setor de saúde quanto à importância da acreditação para garantir uma assistência de qualidade aos pacientes em todos os âmbitos”, destaca Dr.a Maria Carolina Moreno.

Acreditações por região

No recorte regional, o Centro-Oeste apresentou a maior alta no número de certificações. Hoje, a região representa 10,2% do total de instituições certificadas no país, ante 6,1% em 2013. Os estados de Goiás e Mato Grosso do Sul, que antes não estavam entre os dez com maior número de certificações, passaram para a 9ª e a 10ª colocação respectivamente.

O Sudeste, com 65%, lidera o ranking regional, seguido pelo Nordeste (11,1%), Sul (11%), Centro-Oeste e Norte (2,7%).

Para a Dr.ª Maria Carolina, o crescimento no número de certificações é resultado das novas pressões que os serviços de saúde enfrentam, como o aumento no número de pacientes nos hospitais privados e as políticas de redução de custos nas entidades filantrópicas e públicas.

“A acreditação é uma ferramenta para as instituições prestarem uma assistência segura e de qualidade. Além disso, a melhoria nos processos provocada pela acreditação proporciona uma gestão mais eficiente dos recursos”, afirma a superintendente.