HCor cria dispositivo para agilizar atendimento aos pacientes com parada cardíaca

, Sem categoria
Considerado um centro de excelência no diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas, o HCor – Hospital do Coração, em São Paulo, padronizou o seu ambiente de TI altamente complexo para integrar e garantir a disponibilidade das informações de milhares de pacientes que passam mensalmente pelo hospital e torná-las disponíveis, em tempo real.Para atender com mais agilidade os pacientes acometidos por parada cardíaca, a Gerência de Enfermagem juntamente com a Gerência de TI do HCor integraram e implantaram o “Sistema de Atendimento a Parada Cardíaca” – que consiste em dispositivos de chamada de emergência no mesmo aparelho de chamada de enfermagem, localizado próximo ao leito dos pacientes cardíacos. Considerado pioneiro no Brasil, este sistema do HCor é inédito no atendimento de urgência e emergência em unidades de internação.

Composto por dois botões, um amarelo para atendimento de urgência  e outro azul para parada cardíaca, este dispositivo acionará o Time de Resposta Rápida – TRR do HCor (Adulto e Pediátrico), formado por uma equipe multidisciplinar.

“Ao acionar o botão amarelo (código de urgência) o TRR identifica que são pacientes de risco, com comprometimentos respiratórios, circulatórios ou mesmo neurológicos. Já quando o botão azul é acionado (código de parada cardiorrespiratória), a equipe multidisciplinar identifica como pacientes com parada cardíaca, que necessitam de atenção naquele exato momento, sendo oferecidos todo suporte básico e avançado para garantir a sobrevida destes pacientes”, esclarece o Coordenador do TRR do HCor, César Ribeiro.

De acordo com o Coordenador de TRR do HCor, a implementação do TRR – Time de Resposta Rápida no HCor chegou como parte de uma estratégia do grupo de emergência, com o objetivo de evitar as ocorrências de parada cardiorrespiratória e, consequentemente, reduzir a mortalidade hospitalar. “A função do TRR é identificar, por meio de sinais e sintomas de piora clínica súbita e inesperada, a melhor conduta para a segurança dos pacientes hospitalizados, bem como intervir precocemente e prevenir na ocorrência de parada cardíaca”, esclarece Ribeiro.

Sistema de Atendimento a Parada Cardíaca do HCor

Por meio deste dispositivo, o colaborador aciona o Time de Resposta Rápida, que imediatamente traz o carrinho de emergência composto por desfibrilador e todos os medicamentos e materiais necessários e, simultaneamente, executa os primeiros procedimentos de socorro como, por exemplo, a massagem cardíaca. “Todos os acionamentos e chegadas da equipe TRR ficam registrados. Atualmente, o tempo médio entre acionamento do chamado e a chegada da equipe no leito é de apenas dois minutos”, pontua Ribeiro.

De acordo com o Gerente de TI do HCor, José Lobato, antes da criação deste sistema, os enfermeiros utilizavam o telefone ou procuravam por ajuda no posto de enfermagem da unidade, ao encontrar o paciente nestas condições de emergência. “Com a implantação deste dispositivo, o atendimento para estes pacientes, que requer ainda mais atenção, e o fator tempo é primordial ficou ainda mais rápido e eficaz”, salienta Lobato.

Além deste sistema, a área de TI do HCor elaborou  o design  do “Sistema de Alerta de Resultados Críticos” – alertas enviados via web para os médicos em seus dispositivos móveis sobre resultados de exames laboratoriais ou da radiologia com achados importantes para o diagnóstico e tratamento. O gerenciamento deste projeto demandou da TI HCor desenvolvimento e integração de componentes próprios e de terceiros.

Segundo o Gerente de TI HCor, o diagnóstico médico geralmente depende de exames laboratoriais ou radiológicos (ressonância magnética, tomografia, ultrassonografia, raio-X, etc). Os valores fora da “normalidade” ou achados críticos em imagens destes exames são altamente relevantes para a conduta do médico responsável. Com isto o Sistema de Alerta de Resultados Críticos, semelhante a um “Whatsapp” exclusivo para uma intranet, é instalado nos aparelhos celulares dos médicos do HCor, para permitir o recebimento de avisos automáticos quando alguma anomalia for detectada nos exames do paciente.

“Este sistema registra todos os alertas enviados e todas as mensagens trocadas entre os médicos, bem como as datas e horários que as mensagens foram lidas. Além da agilidade e da segurança para a conduta médica, esse recurso permite ao médico responsável um maior suporte de análise de eventuais conflitos de procedimento”, explica Lobato.

Tecnologia da informação a serviço do paciente HCor:

Um dos recentes projetos implementados de TI no HCor foi a automação das informações na UTI Pediátrica e no Serviço de Internação da Cardiopediatria, com o uso de tablets e notebooks. Os pacientes da UTI demandam alto nível de assistência e sempre há um colaborador da enfermagem atendendo o paciente em seu leito.

Antigamente, esses colaboradores tinham que deixar momentaneamente a assistência para acessar o desktop e requisitar medicamentos e materiais ou para acessar exames on-line. O uso de tablets e notebooks permite que esse trabalho seja feito ao lado do paciente, com o objetivo de otimizar o trabalho da equipe.

Lobato destaca também a preocupação com o investimento em infraestrutura de comunicação de dados em tecnologia Gigabit – que garante alta eficiência e disponibilidade para os processos, por exemplo, de transmissão de imagens da Radiologia (Hemodinâmica, Ressonância Magnética, Tomografia Computadorizada, PET/CT, Ultrassonografia, Radiografia, etc) para as unidades assistenciais do HCor como UTI, UCO, Pronto Socorro e Unidades de Internação.

A UTI Adulto do HCor também está equipada com dispositivos móveis para que médicos e enfermeiros possam acessar, em tempo real, as informações dos pacientes. E, neste ano, o objetivo é expandir o uso de tablets e notebooks para as demais UTIs do HCor e para as duas salas de cirurgia híbrida, que fazem parte do novo prédio do hospital, inaugurado em janeiro de 2014.

O Gerente de TI do HCor ressalta também a importância da tecnologia no inovador Centro Cirúrgico de Alta Complexidade. A sala para procedimentos híbridos de Neuro Cirurgia HCor possui uma sala anexa de Ressonância Magnética, onde o médico tem mais precisão no procedimento e pode recorrer a exames, caso seja necessário, durante a cirurgia, com segurança para o paciente. “Precisamos de uma TI de alta qualidade, ágil e eficiente, que garanta que o hospital funcione sem parar em todas as áreas. A tecnologia é fundamental para a excelência do desempenho de nossos profissionais no atendimento aos pacientes”, finaliza Lobato.