Hospital Moinhos de Vento inaugura prédio de internação com capacidade de 100 leitos

Investimento de R$ 112 milhões beneficiará 5 mil pacientes por ano e prevê a geração de 500 oportunidades de trabalho

O Hospital Moinhos de Vento entregará, nesta terça-feira (31), mais uma importante obra para a comunidade: um novo prédio que amplia a capacidade de internação em mais 100 leitos, somando-se aos 380 já existentes. Localizada na rua Dr. Vale, a estrutura tem 9.300 m² e divide-se em novas unidades de internação, um Centro de Terapia Intensiva Adulto (CTIA), um Centro de Terapia Onco-hematológica e também um andar diferenciado para os pacientes Unique Moinhos.

Do investimento de cerca de R$ 112 milhões, mais de R$ 25 milhões foram destinados à aquisição de novas tecnologias e equipamentos. Com o novo prédio, a previsão é gerar 500 empregos diretos e atender 5 mil pacientes por ano, entre convênios e particulares. A obra faz parte do programa de expansão do Hospital, que além de melhorar a qualidade da assistência ofertada à população, também beneficia o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul, investindo, contratando empresas locais e abrindo oportunidades de trabalho na região.

A inauguração ocorre no mês em que o Hospital completa 90 anos, reforçando o compromisso de cuidar de vidas. “O Moinhos tem uma história ligada à qualidade e à inovação, e sempre buscou colaborar com o desenvolvimento do Rio Grande do Sul e do Brasil. Serão mais leitos, mais tecnologia e mais conforto, que estarão a serviço dos nossos pacientes, com medicina de excelência, segurança assistencial e humanização”, destaca Mohamed Parrini, Superintendente Executivo da instituição.

Tecnologia para a saúde

A unidade incorpora diversos conceitos de um prédio de alto desempenho e de qualidade técnica superior. Fachadas ventiladas melhoram a condição térmica da edificação e otimizam o sistema de climatização. As esquadrias têm isolamento acústico. Uma atenção especial foi dedicada ao sistema elétrico. Além da dupla entrada de energia, geradores e nobreaks foram instalados com redundância ativa e são controlados de forma que garantam fornecimento ininterrupto de eletricidade.

Em todas as Unidades de Internação, a dispensação de medicamentos é feita de forma automatizada por dispensários eletrônicos, que proporciona maior segurança. No CTIA, colunas articuladas com tomadas e pontos de gases medicinais permitem posicionar o paciente de diversas formas, facilitando a assistência e também permitindo colocar o mesmo de frente para a janela ou TV. Há ainda telas touch screen na beira do leito para o acesso imediato a exames laboratoriais, raio X, tomografia, entre outros.

Além de toda essa estrutura nas unidades de internação, o sistema de monitoramento remoto por telemetria possibilita a equipe assistencial acompanhar os sinais vitais do paciente em qualquer local (corredores, quartos, toaletes, etc.), mesmo quando em movimento por fisioterapia ou durante o banho.

As camas estão equipadas com tecnologia de última geração. Comportam recursos que auxiliam na recuperação do paciente (colchão de ar, balança integrada e sensor de movimentação, etc.), e com o simples toque em um botão a cama pode ser transformada em poltrona. Outro recurso de automação à mão aciona persianas automáticas e chamada da equipe assistencial. A arquitetura das unidades assegura um amplo contato visual do leito a partir do posto de trabalho.

O Centro de Terapia Hematológica tem um ambiente altamente protegido para o tratamento de pacientes imunossuprimidos graves. O sistema de ar-condicionado faz 12 trocas do ar por hora e duas renovações completas de todo o ar em 60 minutos, além de ter uma filtragem específica para cada necessidade.

Nesse espaço, a pressão é sempre superior às áreas adjacentes, o que garante ainda mais segurança do ponto de vista imunológico porque o ar de fora não entrará no ambiente. Assim, é possível que pacientes transplantados, que antes ficavam em isolamento, possam circular e participar de atividades fora do aposento.