Hospital São José quer terminar ampliação em 2016

, Sem categoria

O Hospital São José, de Jaraguá do Sul, quer concluir até o fim de 2016 a última fase de expansão. Depois de R$ 55 milhões de investimentos do governo do Estado, do município e da classe empresarial entre 2004 e 2012, a meta agora é aplicar mais R$ 37 milhões na ampliação da estrutura e na aquisição de novos equipamentos. Para essa fase, é projetada a expansão da área construída de 15,6 mil m² para 22,7 mil m². O número de leitos aumentará de 202 para 308. Duas novas Unidades de Terapia Intensiva estão programadas, elevando as vagas de 17 para 27. A ampliação da farmácia e a implantação de um ambulatório geral para traum também estão no pacote de planejamento da última fase de obras.

Outra novidade é a construção de um pronto atendimento para pacientes particulares e de planos de saúde. O Pronto Socorro atual será destinado exclusivamente para atendimentos através do SUS (Sistema Único de Saúde). Um prédio será construído para a área administrada e terá um solário, lugar adaptado para os pacientes tomarem banho de sol. Em andamento também o aumento do reservatório de água e da capacidade de geração de energia.

Dos R$ 37 milhões, R$ 25 milhões são para construções e instalações e R$ 12 milhões para compra de equipamentos. Do total, R$ 10 milhões foram garantidos pelo governo do Estado e R$ 5 milhões pelo município. A grande busca, agora, é conseguir R$ 22 milhões do governo federal e de doações da classe empresarial.

Segundo o presidente do Conselho Deliberativo da entidade, Vicente Donini, a classe empresarial poderá doar de R$ 5 milhões a R$ 8 milhões. Ele lembra que a capacidade de investimento está exaurida, pois os empresários já doaram, desde 2004, R$ 40 milhões, e já se responsabilizam pela gestão e pelo equilíbrio dos custeios. “A maior parte dos recursos vai para Brasília e é de lá que precisamos buscar”, salienta Donini. Atualmente, o hospital tem 78% dos atendimentos destinados a pacientes do SUS.

Depois das obras, o desafio será manter a estrutura

Depois de concluídas as obras, o trabalho será para manter a estrutura, conforme destaca o presidente do Conselho Deliberativo, Vicente Donini. “Nossa meta é ocupar o espaço físico de forma equilibrada, sem deixar áreas ociosas ou sobrecarregadas.” Atualmente, conforme afirma, é possível equilibrar as despesas e as receitas, em R$ 60 milhões ao ano, conforme o registrado em 2014.

A partir do dia 31 de março, a Sociedade Divina Providência deixa de ser a mantenedora, passando a função para a Associação Hospitalar São José, que em dezembro recebeu, do Ministério da Saúde, certificação de entidade beneficente.

Agora, um dos pleitos da associação é firmar convênio com o governo do Estado e assim garantir um repasse mensal fixo de R$ 500 mil. O valor é a média calculada com base nos repasses destinados aos 10 hospitais filantrópicos que mais recebem recursos do governo estadual. “Temos boas sinalizações para os recursos que buscamos. Quando executarmos as obras, a estrutura atenderá a demanda para os próximos 10 anos”, finaliza Donini.

Hospital São José > obras

1ª fase: 2005 a 2006
Investimentos e Modernização – R$ 15 milhões, divididos igualmente entre Governo do Estado, município e classe empresarial.

2ª fase: 2007 a 2012
Execução da nova etapa de modernização e expansão – R$ 40 milhões do Estado e R$ 35 milhões da classe empresarial.

3ª fase: 2014 a 2016
Última etapa de expansão – R$ 37 milhões: R$ 10 milhões do Estado, R$ 5 milhões do município e pleito de R$ 22 milhões do governo federal e da classe empresarial.