IFHE Rio 2017: Encontro internacional da arquitetura hospitalar no Brasil

O Brasil foi o vencedor de uma disputa direta de votos para sediar, no Rio de Janeiro, a próxima reunião das Associações Mundiais de Arquitetura e Engenharia Hospitalar da IFHE (International Federation of Hospital Engineering) em 2017. A votação ocorreu no primeiro semestre deste ano, durante o encontro do Council Meeting da instituição na cidade de Turku,na Finlândia. O País concorreu com a cidade de Orlando, nos Estados Unidos, e ganhou com a diferença de 11 votos favoráveis. A apresentação do Brasil foi realizada pelo presidente da ABDEH (Associação Brasileira para o Desenvolvimento do Edifício Hospitalar), Márcio Oliveira, e pelo representante do Comitê Executivo da IFHE no Brasil, Fábio Bitencourt. “O Brasil foi escolhido pela sua representatividade no cenário internacional,pelas características da engenharia e arquitetura hospitalar que se realiza aqui, e por ter, atualmente, um papel relevante no cenário mundial no que se refere às questões da assistência à saúde”, afirma Bitencourt. No evento será discutida a questão do ambiente de saúde em relação à segurança do paciente. “Esta abordagem é o tema mais atual e importante no cenário internacional a partir da estratégia que a OMS (Organização Mundial de Saúde) estabeleceu para esta década”, salienta o representante do Comitê Executivo da IFHE no Brasil. O País terá a oportunidade de fazer desta abordagem uma discussão mundial inserindo a contribuição da arquitetura e da engenharia para a qualificação do ambiente e, por consequência, promover a segurança do paciente”, conclui.

Comitê Executivo

Fábio Bitencourt é o primeiro representante brasileiro a fazer parte do Comitê Executivo do IFHE, atuando como membro do Conselho Superior. São mais de 46 países associados, sendo mais sete países da América Latina – Argentina, Costa Rica, Chile, Colômbia, México, Uruguai e Cuba. Fazem parte deste grupo a presidente arquiteta argentina Liliana Font, o vice-presidente engenheiro da Holanda, Douwe Kiestra. “O Brasil foi escolhido pela sua representatividade no cenário internacional, pelas características da engenharia e arquitetura hospitalar que se realiza aqui, e por ter, atualmente, um papel relevante no cenário mundial no que se refere às questões da assistência à saúde.” Fábio Bitencourt, Representante do Comitê Executivo da IFHE no Brasil

Deixe uma resposta