Instituto de Oncologia do Hospital Santa Paula traz modelo americano de atendimento

, Sem categoria

Imagem: Divulgação

O Hospital Santa Paula, localizado na zona sul de São Paulo, traz uma novidade no atendimento ao paciente oncológico. Trata-se de uma integração nas áreas de psicologia, onco-cirurgia, radioterapia, cirurgia plástica (para reconstrução da mama), nutrologia e fisioterapia, proporcionando, assim, um tratamento mais ágil, qualitativo e assertivo.

Com a inauguração do novo prédio que está em construção, o Instituto de Oncologia do Hospital Santa Paula (IOHSP) terá condições de ampliar esse atendimento integrado e trazer mais conforto para os pacientes. O novo empreendimento exigiu investimento de R$ 22 milhões, terá 5.000 metros quadrados, com capacidade de triplicar o número de atendimentos. A estrutura será composta de oncologia clínica, oncologia cirúrgica, pisco oncologia, quimioterapia, radioterapia e braquiterapia.

A partir de agora, a paciente em tratamento de câncer de mama recebe uma única orientação da sua equipe médica e não mais várias orientações de médicos diferentes, como acontece com pessoas que acabam de ser diagnosticadas com câncer. Além da segurança de estar sendo tratada por um grupo multidisciplinar, ajuda a mulher a ter mais forças para enfrentar a doença. O início do tratamento influi no índice de cura do câncer, afirma Dr. Otávio Gebara, diretor clínico do Hospital Santa Paula.

O médico salienta que muitas vezes a equipe oncológica do Santa Paula se depara com casos de emergência no pronto-socorro, de pacientes que não são acompanhados diretamente no hospital e tem um histórico de exames e tratamentos quimioterápicos ou radioterápicos espalhados por várias clínicas e consultórios. Quando o paciente é diagnosticado com câncer, é comum ele realizar várias consultas com profissionais distintos antes de iniciar o seu tratamento. Mas se não há conhecimento desse histórico temos que iniciar o tratamento do zero, o que pode atrasar e comprometer o processo de cura.

Além disso, as pacientes terão espaço especial no novo instituto, como um andar inteiro dedicado à convivência, abrigando uma biblioteca, centro estético com comercialização de perucas, lenços e também um grupo de voluntariado que já passou por esta experiência para dar apoio às mulheres.