Ministério da Saúde garante mais de R$ 46 milhões para reforçar atendimento em Goiás

, Sem categoria

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou o repasse de R$ 46 milhões para ampliar o atendimento, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), à população do estado de Goiás. Os recursos são destinados à ampliação de consultas, exames, cirurgias, além da compra de equipamentos e materiais permanentes para hospitais da região. Do valor total, R$ 16 milhões serão destinados a construção de um hospital regional em Palmeiras de Goiás (GO). O anúncio foi feito durante encontro com prefeitos e gestores, que celebra 112 anos da emancipação política do município.

Os outros R$ 30 milhões visam equipar e estruturar os serviços de saúde existentes no estado. Com este recurso, o Estado poderá adquirir desde insumos básicos e equipamentos médicos – como andadores, bicicletas ergométricas e audiômetros – até móveis e materiais permanentes de escritório, como mesas, macas e computadores. O recurso será repassado via Fundo Nacional de Saúde ao Fundo Estadual de Saúde.

Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, os recursos representam um ganho relevante na qualidade dos serviços de saúde que são prestados na região. “Os recursos que estamos liberando hoje garantem aos municípios continuidade dos serviços prestados além de ampliar o atendimento à população. A medida se soma aos investimentos que o governo de Goiás tem feito e que estamos complementando”, destacou o ministro Barros.

Em um ano da atual gestão, o estado de Goiás foi contemplado com R$ 170 milhões para custeio de serviços e emendas parlamentares, sendo R$ 36,2 milhões destinados aos serviços de saúde e R$ 133,7 milhões às emendas parlamentares, beneficiando 46 municípios. Deste total, R$ 3 milhões foram empenhados em 2017. Ao todo, 77 serviços/leitos, que estão em funcionamento, passaram a ser beneficiados com repasses de custeio da contrapartida federal para habilitação e/ou qualificação.

O estado também foi contemplado com mais 13 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), distribuídas em 10 municípios, representando custeio anual federal na ordem de R$ 24,4 milhões. “Tudo isso é fruto do trabalho de uma gestão muito segura, que traz novos recursos e tem capacidade de realizar parceria com os municípios, dando mais autonomia aos prefeitos para decidir o que fazer com os recursos que recebem”, concluiu o ministro Ricardo Barros.

Essas medidas são resultado da eficiência na economia de R$ 3,5 bilhões, obtida em um ano da atual gestão. Essa economia possibilitou ao Ministério da Saúde ofertar, em todo o país, mais 5.959 serviços, habilitar 126 UPAs – que funcionavam sem custeio federal -, doar 340 ambulâncias para renovação de frota do SAMU 192 e aumentar a oferta de medicamentos em todo Brasil.

Os R$ 170 milhões liberados em um ano de gestão para todo o estado de Goiás contemplam serviços como saúde bucal, rede de atenção psicossocial, leitos (complementares e de UTI), Estratégia Rede Cegonha, SAMU, entre outros.