Nova ameaça à saúde da população brasileira

, Sem categoria

Pesquisas recentes revelam que foram verificados mais de 2 mil casos de transmissão do vírus chikungunya no Brasil em 2014. A enfermidade trata-se de uma nova ameaça à saúde da população brasileira, principalmente no período de chuvas, por ser tratar de uma doença viral muito parecida com a dengue e transmitida pelos mesmos mosquitos, sendo eles, o Aedes Aegypti infectado e o Aedes Albopictus.

De acordo com o infectologista do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), dr. Celso Ramos, ao contrário da dengue, a doença raramente causa morte e os casos mais graves surgem com frequência em idosos, crianças, gestantes e pessoas com doença renal, hepática, cardíaca e pulmonar.

 Sobre a doença
Embora o vírus chikungunya e o vírus da dengue sejam muito distintos, a avaliação clínica da das duas doenças é bastante semelhante, sendo difícil a sua diferenciação sem a realização de aoexames laboratoriais.

Diagnóstico
Os sintomas da febre chikungunya são similares aos da dengue, mas com dores mais fortes, principalmente nas articulações, que podem persistir por semanas ou meses, embora a doença febril em si dure de três a dez dias. Além disso, a temperatura é em geral mais alta do que no caso de dengue, acima de 39 °C e a ocorrência de manchas avermelhadas pelo corpo é mais frequente.

Tratamento
Assim como no caso da dengue e demais doenças virais, não existe tratamento específico, devendo o paciente permanecer em repouso, receber antitérmicos, manter-se hidratado e procurar alimentar-se. Em casos de persistência de dores articulares, ou seja, nos joelhos, mãos, pés, cotovelos, coluna dorsal, pode ser necessário o uso de anti-inflamatórios, a critério médico. Como as duas doenças são de fácil confusão, todo caso suspeito de chikungunya deve ser considerado também suspeito de dengue, e assim ser tratado, tentando evitar as complicações.

Prevenção
A prevenção é feita por meio do combate ao mosquito vetor, isto é, ao Aedes ægypti. Deve-se procurar impedir a sua proliferação em criadouros próximos ao domicílio, em geral, acúmulo de água parada em recipientes.