Teleoftalmo-Olhar Gaúcho é lançado em Porto Alegre

, Sem categoria

A saúde pública do Rio Grande do Sul contará a partir de julho com uma nova tecnologia que buscará agilizar o acesso da população ao diagnóstico de oftalmologia e reduzir a fila de espera por consultas especializadas. O Teleoftalmo – Olhar Gaúcho será lançado no dia 10 de julho, às 11h, no Hospital Restinga e Extremo-Sul, que receberá dois dos oito consultórios remotos instalados no Estado. A solenidade terá a presença do Ministro da Saúde, Ricardo Barros, do Governador do Estado do RS, José Ivo Sartori, do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, do superintendente Executivo do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, e do vice-coordenador geral do Telessaúde-RS, Roberto Nunes Umpierre.

O projeto Teleoftalmologia como Estratégia de Atenção Integral à Saúde Ocular faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS). A iniciativa é resultado da parceria do Hospital Moinhos de Vento com o Ministério da Saúde, o Governo do Estado, a Prefeituras do Rio Grande do Sul e o TelessaúdeRS-UFRGS.

“O reconhecimento da necessidade de investimentos para promover a melhoria da qualidade da atenção integral à saúde ocular é uma das prioridades do Ministério da Saúde, e o projeto Teleoftalmo é uma das importantes iniciativas na área. A nossa aposta é utilizar a tecnologia para melhorar a atenção à saúde”, afirma Rogério Abdalla, secretário de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde do Ministério da Saúde.

Atualmente, mais de 9 mil pessoas do interior do RS aguardam consulta especializada em oftalmologia. A iniciativa pretende reduzir esse volume, a partir da avaliação dos casos em espera, determinando o que pode ser diagnosticado à distância e quais as situações que exigem consulta presencial com especialista.

Serão beneficiados moradores de todo o estado a partir de oito consultórios remotos. Duas unidades estão instaladas em Porto Alegre e uma nas cidades de Farroupilha, Passo Fundo, Pelotas, Santa Cruz do Sul, Santa Maria e Santa Rosa. O projeto-piloto iniciará na capital gaúcha e em Santa Rosa. Cada consultório atenderá preferencialmente os pacientes de sua macrorregião de saúde.

De acordo com o superintendente de Educação, Pesquisa e Responsabilidade Social do Hospital Moinhos de Vento, Luciano Hammes, a iniciativa soma um investimento de R$ 10 milhões em recursos do programa. “O Teleoftalmo é resultado de uma grande mobilização de parceiros. O Hospital Moinhos de Vento participa desse esforço para garantir à população um serviço qualificado, ágil e descentralizado”, avalia.

O projeto atenderá crianças a partir de 8 anos e adultos com qualquer dificuldade de visão. Conforme o diagnóstico, o paciente poderá ter seu problema resolvido na própria unidade básica de saúde, como é o caso dos erros de refração, para os quais o grau de miopia, hipermetropia ou astigmatismo será verificado durante o exame. O paciente poderá fazer seus óculos após a avaliação com o seu médico no posto de saúde.

Além disso, uma vez que se anteciparão os diagnósticos das pessoas que estão na fila de espera, será possível detectar casos que não podem mais aguardar – envolvendo, por exemplo, risco de cegueira se não ocorrer o tratamento em tempo. Pacientes com doenças como glaucoma e retinopatia diabética, muitas vezes ainda não diagnosticadas, terão prioridade no encaminhamento ao oftalmologista.

Como funciona

O médico do posto de saúde envia sua solicitação via Plataforma de Telessaúde (www.plataformatelessaude.ufrgs.br), e a equipe do TelessaúdeRS-UFRGS efetua o agendamento com o paciente. O exame é realizado remotamente pelos oftalmologistas do projeto, com apoio presencial da equipe de enfermagem.

O cidadão já sai com o resultado da avaliação impresso. O laudo também é enviado pela Plataforma de Telessaúde/MS para o médico solicitante com recomendações de conduta. Diante da necessidade de lentes corretivas, os óculos serão fornecidos sem custo ao paciente, confeccionados por ótica contratada pelo projeto por tomada de preço. Cada consultório terá capacidade de realizar mais de 500 atendimentos por mês.

“O programa Olhar Gaúcho busca inovar a prestação de serviços na área de oftalmologia, que hoje é uma das áreas de maior demanda e espera no SUS. O diagnóstico à distância representará, assim, uma qualificação na gestão e atenção em termos de saúde pública”, reforça o secretário estadual da Saúde, João Gabbardo dos Reis.

Para realizar o telediagnóstico, os pacientes passarão pelos seguintes exames: teste de acuidade visual, refração, medida da pressão intraocular, avaliação das pálpebras, da motilidade ocular e dos reflexos pupilares e documentação do segmento anterior e do fundo do olho. A avaliação inclui exame síncrono, em que o médico oftalmologista comanda o equipamento médico à distância, ao mesmo tempo em que acompanha tudo o que acontece nas salas por câmera robotizada de alta resolução.

“O Teleoftalmo é um serviço que une tecnologia de ponta, expertise em telessaúde e foco no atendimento. A avaliação oftalmológica passa a ser feita à distância, por oftalmologista, usando telepresença e robótica”, explica Roberto Nunes Umpierre, médico de família e comunidade e vice-coordenador do TelessaúdeRS-UFRGS.

Estrutura no Hospital Restinga e Extemo-Sul

O Hospital Moinhos de Vento realizou adequações em duas salas para instalar os consultórios no Hospital Restinga e Extremo-Sul, que serão referência para moradores de Porto Alegre e da Região Metropolitana. O serviço fica disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Cada consultório é equipado com três câmeras, computadores e equipamentos de diagnóstico oftalmológico.

Deixe uma resposta